domingo, 29 de outubro de 2017

Emissões poluentes: Brasil estoura meta prevista para 2020

Com desmatamento, emissões de gases de efeito estufa em 2016 superaram em 187 milhões de toneladas de CO2 valor registrado em 2015

http://www.dw.com/pt-br/desmatamento-na-amaz%C3%B4nia-caiu-16-afirma-governo/a-41004423

Sob o governo Temer, o Brasil retrocedeu não só em políticas socioeconômicas, mas também na questão ambiental.

O país vive uma situação esdrúxula e única no mundo: o PIB brasileiro encolhe, mas suas emissões poluentes avançam.

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

França: dessalinizador de água do mar 100% a energia solar

Painéis fotovoltaicos garantem autonomia do sistema de produção de água potável

Protótipo Osmosun, da empresa francesa Mascara NT
http://france3-regions.francetvinfo.fr/centre/eure-et-loir/chartres/dessaler-l-eau-de-mer-grace-l-energie-solaire-la-solution-osmosun-868297.html

A dessalinização de águas marítimas responde por emissões volumosas de gases de efeito estufa: são 32 bilhões de m3 de CO2 liberados na atmosfera planetária a cada ano.

O dessalinizador fotovoltaico proposto pela startup francesa Mascara NT consome pouca energia e não emite gases poluentes.

Células à base de nanotubos de carbono podem melhorar desempenho de sistemas fotovoltaicos, diz estudo

Semicondutor inovador minimiza perdas na conversão da luz solar em eletricidade

Estrutura de um Nanotubo de Carbono de Parede Única (SWCNT, na sigla em inglês)
https://www.dsiac.org/resources/dsiac_journal/fall-2014/carbon-nanotubes-small-structures-big-promise

Pesquisadores do laboratório americano NREL constataram que o uso de nanotubos de carbono pode aumentar o rendimento de sistemas de conversão solar fotovoltaica.

O semicondutor desenvolvido pelo National Renewable Energy Laboratory (NREL) é um “nanotubo de carbono de parede única” (SWCNT, na sigla em inglês).

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Eólica e solar juntas devem superar hidrelétricas no Brasil até 2040, diz agência americana

Para a Bloomberg New Energy Finance, fontes renováveis não convencionais podem alcançar 43% da matriz elétrica nacional, em 25 anos

http://fortune.fdesouche.com/tag/electricite

Em 2015, a produção brasileira de eletricidade solar e eólica foi de pouco menos de 10% da energia produzida em hidrelétricas.

A se confirmar o prognóstico da Bloomberg para 2040, a energia elétrica gerada com novas fontes limpas no país será 50% maior do que a hidroeletricidade.