segunda-feira, 18 de abril de 2011

Europa: participação de energias renováveis quase dobra em 10 anos

Consumo bruto de energia limpa no conjunto de países da União Européia cesce de 5% para 9% entre 1999 e 2009

Parque eólico na França
http://www.techno-science.net/?onglet=news&news=8968

Os dados foram divulgados na semana passada pela Eurostat – bureau de estatísticas da União Européia – durante a Sustainable Energy Week, evento que promoveu uma ampla divulgação e discussão sobre eficiência energética e energias renováveis em várias partes da Europa.

De 1999 a 2009, o perfil energético europeu variou pouco em relação às fontes não renováveis. O consumo interno bruto de gás aumentou de 22% para 24%, o suprimento de energia nuclear se manteve praticamente estável (14%), enquanto que o de petróleo caiu de 39% para 37% e o de combustíveis sólidos (carvão) de 18% para 16%.

Dos 27 países que formam o bloco europeu (EU-27), os que mais consumiram petróleo em 2009 foram Malta (100%), Chipre (96%) e Luxemburgo (63%). Outra fonte altamente emissora de CO2 – o carvão – foi o insumo energético mais usado na Estônia (58%), Polônia (54%) e República Tcheca (41%).

sábado, 16 de abril de 2011

França: estudo identifica ‘tecnologias-chave’ para o final da década

Do rol de tecnologias selecionadas, 20% são ligadas à energia

http://www.industrie.gouv.fr/tc2015/feuilletable/pageFlipEnergie/index.html

O estudo foi coordenado pelo ministério francês da indústria, energia e economia digital, e envolveu o trabalho de 250 especialistas do mundo produtivo e científico.

Eles identificaram 85 tecnologias que possam assegurar vantagem competitiva e atrair investimentos para a França, entre 2015 e 2020, em diversos setores de atividade.

As tecnologias-chave mapeadas englobam as áreas de informação e comunicação, materiais e química, construção civil, energia, meio ambiente, saúde, agricultura, agroalimentar e transportes.

Cada uma dessas nove áreas foi objeto de um estudo detalhado – publicado no relatório “Technologies clés 2015”, divulgado em 15.3.2011 – que analisa estrategicamente as tendências de evolução das respectivas tecnologias e fornece subsídio para as políticas públicas de fomento.

sábado, 9 de abril de 2011

Brasileiro tem percepção errônea da energia solar, revela pesquisa

Idéia de sol como fonte de energia é bem vista, mas visão equivocada da tecnologia pode se tornar barreira ao apoio da população a projetos adotados por empresas

Adaptado de http://www.toonpool.com/user/997/files/solar_energy_earth_sun_twerps_234435.jpg&imgrefurl=

A pesquisa, divulgada no último dia 4, é do Instituto Ideal e da GTZ (Cooperação Alemã para o Desenvolvimento) no Brasil, que avaliaram a receptividade de um grupo de consumidores e outro de gestores empresariais a um “selo solar” de empresas que comprassem energia elétrica de origem solar, ou instalassem sistemas fotovoltaicos em seus prédios.

"A confusão entre aquecimento e eletricidade solares pode passar ao consumidor a idéia de que a energia fotovoltaica (interpretada como equivalente ao aquecimento solar) não é um fato novo", diz a pesquisa.

O problema é que se este equívoco não é esclarecido, uma vez que se considera que algumas empresas já possuem energia elétrica solar, o consumidor pode se sentir enganado por alguma entidade "que se apresente como pioneira e inovadora ao afirmar que utiliza energia fotovoltaica".

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Mini geladeira USB ganha espaço no mercado de periféricos

Com preços acessíveis e modelos para PC e Macintosh, dispositivo dispensa instalação de driver e requer pouco espaço em memórias Ram e HD

http://www.amazon.com/Dream-Cheeky-Usb-Fridge/dp/B000XYN5RS/ref=sr_1_1?ie=UTF8&qid=

Com a popularização dos computadores pessoais e do acesso à internet, centenas de milhões de pessoas passam cada vez mais tempo usando essas “ferramentas”, no trabalho ou laser.

Agora, além de impressoras, escâneres, gravadores e leitores de DVDs, o usuário que quiser comodidade poderá conectar a uma porta USB do seu microcomputador uma “micro” geladeira.

O mercado dispõe de vários modelos, todos com uma capacidade de pouco menos de meio litro, ideal para esfriar uma latinha de 350 ml de refrigerante, cerveja ou outros líquidos a gosto do freguês.

sexta-feira, 1 de abril de 2011

ONU: centenas de milhões de pessoas devem sofrer com fenômenos extremos nas próximas décadas

Até 2030, seis em cada dez habitantes do planeta estarão vivendo em áreas urbanas, as mais vulneráveis a catástrofes naturais, diz Nações Unidas

FONTE: Global Report on Human Settlements 2011 (ONU)

A previsão consta do Relatório Global 2011 do Programa de Assentamentos Humanos (Human Settlements) da ONU, denominado “Cidades e mudança do clima: linhas políticas”, divulgado no mês passado. 

De acordo com o relatório, a população urbana global praticamente quintuplicou nos últimos 60 anos. As taxas de crescimento são tanto maiores quanto menor o grau de desenvolvimento do país; nações mais pobres já contabilizam 3/4 da população mundial.

Enquanto em cidades menores a população diminui, nos grandes centros urbanos, nas maiores metrópoles, a expansão demográfica dispara, diz o documento.

A ONU estima que o fluxo médio de migração rumo às cidades nos próximos 20 anos deverá ser de 67 milhões por ano, o que significa que 59% da população será urbana em 2030.