terça-feira, 31 de maio de 2011

Florestas energéticas: eucalipto como alternativa para produção de etanol?

Casca da árvore pode ser insumo eficiente para gerar biocombustível, mas eventual modelo produtivo com base em monocultura extensiva seria questionável

http://sosriosdobrasil.blogspot.com/2009/08/as-questoes-ambientais-das-monoculturas.html

Pesquisa realizada na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da USP, em Piracicaba, comprova a viabilidade de se produzir etanol usando cascas de eucalipto descartadas pelas fábricas de papel e celulose.

Segundo coordenador do estudo, o químico Juliano Bragatto, cada tonelada de resíduo da indústria pode gerar até quase 200 litros de etanol, a partir de açúcares solúveis obtidos da casca fresca (logo após o corte das árvores) mais o açúcar resultante do processo de fabricação da celulose.

Há dois procedimentos para se extrair do eucalipto a matéria prima para a produção do etanol, seja “submetendo as cascas a uma lavagem com água a 80ºC, onde se obtém uma infusão que é posta em contato com as leveduras, ou moendo a casca e realizando a fermentação com o caldo obtido, do mesmo modo que a cana”, explica Bragatto.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Aquecimento solar no Brasil: mais de 40 mil casas populares com ‘chuveiro híbrido’

Contratação de sistemas de aquecimento solar no Programa Minha Casa Minha Vida supera meta

http://www.newsflip.com.br/pub/abravadasol//index.jsp?edicao=1912

Em entrevista à revista SolBrasil deste mês, o gerente de Meio Ambiente da Caixa Econômica Federal (CEF), Jean Rodrigues Benevides, afirmou que o programa de governo para reduzir o déficit habitacional financiou 40.649 moradias com aquecimento solar, para famílias com renda de até três salários mínimos. Ele anunciou também a criação do Selo Casa Azul, “um instrumento voluntário de classificação socioambiental de projetos habitacionais apresentados à CEF, que visa incentivar o uso racional de recursos naturais na construção”.

Para Benevides, falta ainda divulgar a tecnologia solar para mostrar suas vantagens, especialmente em edifícios multifamiliares. Ele ressalta que é preciso capacitar projetistas e instaladores, além de informar a população sobre cuidados no uso e manutenção dos sistemas de aquecimento solar. “Também é importante buscar a redução de custos dos equipamentos (coletor e tanque) para ampliar o uso”, conclui.

O dirigente da CEF lembra que o sistema de aquecimento solar é um item financiável em todos os programas habitacionais operados pelo banco e será incluído na próxima fase do Minha Casa Minha Vida.

domingo, 22 de maio de 2011

Aquecimento solar no mundo: instalações de coletores aumentam 25% em um ano, diz IEA

Estudo envolvendo 53 países revela que aquecimento   de água com energia solar equivale a consumo de 14,4 milhões de toneladas de petróleo

http://www.thermosolair.fr/solaire-thermique-energie-renouvelable.php
http://adream-web.com/solairetv/images/psThermique.jpg&imgrefurl=

A Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês) divulgou esta semana dados sobre a evolução do mercado mundial de energia solar térmica, que indicam um crescimento importante de coletores para aquecimento de água e ar, entre 2008 e 2009. 

Os países que fizeram parte do estudo representam 4,1 bilhões de pessoas, 61% da população mundial; foram contabilizados em seus territórios mais 52,1 milhões de metros quadrados de coletores solares em um ano.

A energia termossolar produzida no período equivale a uma economia anual de 46 milhões de toneladas de CO2, que seriam despejadas na atmosfera, caso todo esse aquecimento (de água e ar) fosse gerado por combustíveis fósseis. 

De acordo com a IEA, a área total de coletores solares no mundo no final de 2009 foi de 246 milhões de metros quadrados.

sábado, 21 de maio de 2011

Participação de renováveis no consumo mundial de energia pode avançar pouco até 2050, diz IPCC

Projeção mais otimista prevê 77% da oferta global, mas pior hipótese estima que fontes renováveis podem crescer menos de 2% em relação à participação atual

http://www.kollewin.com/EX/09-16-13/renewable_energy_types.gif&imgrefurl=

Segundo o mais novo relatório do IPCC (Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas), a ser divulgado brevemente, para que o cenário energético mais favorável à saúde do planeta se realize daqui a 40 anos, são necessárias políticas públicas consistentes para aumentar o uso de energias renováveis, em detrimento dos combustíveis fósseis. 

O cenário ideal desenhado pelo IPCC para 2050 significa aumentar em seis vezes a atual participação das energias renováveis. Entretanto, no pior panorama as fontes de energia limpa atenderiam a 15% da demanda mundial, ante os 13% atuais.

Por outro lado, a maioria das projeções indica que neste período a participação de renováveis na matriz energética mundial deverá superar outras fontes de baixa emissão de CO2, como a nuclear e termelétricas a carvão dotadas de sistemas de captura e sequestro de carbono (CCS, na sigla em inglês).

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Brasil produtivo: norma internacional vai certificar eficiência energética na indústria

ISO 50.001 surge como aliada importante do Plano Nacional de Energia para os próximos 20 anos

http://www.dolceta.eu/united-kingdom/Mod5/-Domestic-appliances-and-multimedia-.html

Empresas que promovam políticas de sustentabilidade energética e o uso eficiente da energia receberão uma certificação internacional, a partir do segundo semestre deste ano. 

A ISO 50.001 é fruto de uma iniciativa conjunta do Brasil e dos Estados Unidos, e foi criada a partir da demanda por uma norma internacional que privilegiasse o consumo consciente de energia.

De acordo com Alberto Fossa, coordenador da Comissão de Gestão da Energia da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) e consultor do Procobre Brasil – uma das entidades que colaboraram na elaboração da ISO 50.001 – a nova norma foi criada para balizar três aspectos referentes ao consumo de energia: o qualitativo (tipo de uso), o quantitativo (uso racional) e o tecnológico (eficiência).

sexta-feira, 13 de maio de 2011

‘Solar Impulse’: primeiro vôo internacional de avião movido a energia solar é realizado com sucesso

Vôo histórico, da Suíça à Bélgica, durou quase 13 horas

Solar Impulse  decolando da Suiça

Com a envergadura de um Airbus A340 (63,4 m) e o peso de um carro de passeio (1.600 kg), o avião experimental “Solar Impulse” – movido apenas a energia solar – decolou na manhã de ontem do aeroporto militar suíço de Payernes e aterrisou, por volta das 21:30, em Bruxelas. Veja o vídeo com cenas da decolagem.

O Solar Impulse já havia entrado para a história da aviação em julho do ano passado, ao realizar 24 horas de vôo sem interrupção, usando como força propulsora apenas a eletricidade gerada em painéis fotovoltaicos e armazenada em baterias.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Suécia: cientistas discutem energias renováveis em congresso mundial

Especialistas de 70 países debatem futuro de tecnologia de energia limpa e sustentabilidade

Linkoping, Suécia
http://www.masterofscience.se/images/uploads/albums/linkoping/liu_4_bildspel.jpg&imgrefurl=

Com o tema "Tendências e aplicações de tecnologias de energia renovável e desenvolvimento sustentável", foi inaugurado hoje na Suécia o Congresso Mundial de Energias Renováveis (WREC, na sigla em inglês).

Esta é a 12ª edição do evento; as últimas foram nos Emirados Árabes (Abu Dhabi, 2010), Escócia (Glasgow, 2008), Itália (Florença, 2006) e Estados Unidos (Denver, 2004).

Localizada entre os paralelos 55ºN e 67ºN, a Suécia é o terceiro maior país da União Europeia, com cerca de 450 mil km2 e 9,2 milhões de habitantes.

domingo, 1 de maio de 2011

Mares e oceanos iluminando cidades?

Potencial de geração elétrica de mares e oceanos pode ser mais de mil vezes maior do que toda capacidade instalada do Brasil

https://wiki.colby.edu/download/attachments/6296463/turbine.jpg&imgreful=

Mares e oceanos cobrem 70% da superfície terrestre; era de se esperar que o homem – além de explorá-los como vias de transporte, laser e fontes de alimento, água potável e matéria prima – buscasse também extrair energia de suas águas. Afinal, 60% dos habitantes do planeta, ou quase 3,5 bilhões de pessoas, vivem em zonas costeiras. 

Os diferentes movimentos das águas de mares e oceanos exercem um papel fundamental sobre o equilíbrio da biosfera, determinando o clima e regulando a temperatura do planeta. 

Mas também representam um gigantesco potencial energético, estimado entre 500 bilhões e 1 trilhão de kWh (quilo watt hora) por ano; a melhor estimativa equivale a pouco mais de mil vezes toda a capacidade elétrica instalada no Brasil, que é de cerca de 110 GW (giga watt).